Nos últimos meses o mundo parou. Em todos os continentes, a preocupação é a mesma: como controlar a pandemia do novo Coronavírus? Enquanto uma vacina não é desenvolvida, especialistas indicam uma série de medidas básicas de prevenção e segurança. Esse é o caso do isolamento social e da higiene pessoal que, agora, deve ser impecável.

Fora isso, há quem esteja reforçando ao máximo a sua imunidade, como uma maneira de fortalecer o organismo e estar menos vulnerável à doença. De fato, alguns especialistas em imunologia recomendam a vitamina D para combater o problema. Contudo, o assunto ainda é novo e pouco se sabe sobre esse tipo de prevenção.

Afinal, a vitamina D é ou não eficaz na proteção contra a infecção? Para responder, decidimos ir a fundo e realizamos uma pesquisa completa. A seguir, você saberá, de uma vez por todas, qual é a relação do componente com a Covid-19. Confira!

 

Coronavírus: o que sabemos até agora?

Desde dezembro de 2019, o Coronavírus surgiu como uma ameaça no horizonte e passou a dominar o noticiário. A epidemia teve origem em Wuhan, na China e, logo, o vírus foi detectado na Coreia do Sul, Japão, Itália, Espanha, vários países da Europa e nos Estados Unidos, com milhares de casos e óbitos por dia.

Hoje, o Brasil conta com mais de 250 mil infectados, acometendo, principalmente, aqueles indivíduos que fazem parte dos chamados “grupos de risco”. Ou seja, pessoas que apresentam o sistema imunológico fragilizado e, portanto, se tornam mais suscetíveis à infecção.

São inúmeros sintomas que essa condição pode apresentar: febre alta, tosse seca, dor no corpo e dificuldade para respirar são as principais. Em alguns casos, e quando não tratada a tempo, a complicação pode evoluir para uma pneumonia, além de causar a insuficiência renal e até a morte. O assunto é sério, sabemos. Desde o seu surgimento, autoridades de várias nações estão buscando soluções para conter a pandemia.

 

Vitamina D e Covid-19: qual a relação?

Em meados de março, quando a Europa liderava o epicentro da contaminação, a vitamina D passou a ser cogitada como um método de prevenção. Fundamental em pequenas quantidades, ela atua em conjunto com determinadas enzimas e, juntas, conseguem controlar inúmeras funções do organismo, além de manter a nossa saúde resistente a bactérias e vírus diversos.

Tudo começou na Itália, um dos focos do Coronavírus no mundo, onde pesquisadores da Universidade de Turim, identificaram que esse componente pode contar com uma ação preventiva contra a doença. Embora sem uma evidência científica, os especialistas se basearam em estudos existentes, que apontam a vitamina D como uma substância terapêutica no trato de infecções respiratórias e virais.

Mas não acaba por aí...

Em pouquíssimo tempo, essa informação ganhou a atenção de outros cientistas. Logo em seguida, a Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO), divulgou uma nota, referente ao artigo assinado por cientistas da Anglia Ruskin University, no Reino Unido, e publicado no Aging Clinical and Experimental Research. O levantamento associa baixos níveis de vitamina D à mortalidade provocada pelo novo Coronavírus em 20 países europeus.

Ele ainda mencionou estudos observacionais anteriores, que já tinham registrado uma certa relação entre os níveis do micronutrientes e infecções respiratórias agudas no geral. Ou seja, a vitamina D, de fato, participa da modulação da resposta imunológica e previne a produção excessiva de citocinas inflamatórias. 

Ainda nesse material, foi notado que, tanto a Itália, quanto a Espanha, apresentaram uma altíssima taxa de mortalidade, coincidentemente, dois países nos quais a população apresenta os piores níveis de vitamina D no organismo.

Segundo os cientistas, isso acontece porque os habitantes mais velhos fogem da exposição ao sol — fato que reduz significativamente os níveis de produção natural do componente na pele. 

Os níveis mais altos da vitamina D na Europa, por sua vez, podem ser encontrados nos países escandinavos, onde os indivíduos são acostumados a consumir suplementos da substância, bem como o popular óleo de fígado de bacalhau. Neles, as taxas de mortalidade pela Covid-19 foram as mais baixas do continente até o momento.

Todo o cuidado é pouco

Não há como negar que as evidências são positivas. Entretanto, ainda faltam estudos mais profundos para garantir que a vitamina D seja realmente eficiente no combate e na prevenção ao novo Coronavírus.

Os pesquisadores, inclusive, admitem que esse tipo de associação apresenta diversas limitações, mas sugerem que os profissionais de saúde comecem a ficar mais atentos à dosagem da substância em seus pacientes — ainda mais, entre aqueles que pertencem a algum grupo de risco.

 

Como se cuidar da melhor forma?

Mesmo que a vitamina D não venha sendo usada como método preventivo diante da Covid-19, existem muitas pessoas que estão acreditando fielmente nessa teoria e se esquecendo de seguir as práticas de segurança recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ou pior: esses indivíduos estão apostando na suplementação por conta própria, sem contar com o acompanhamento de um especialista.

De acordo com os especialistas, a vitamina D, assim como qualquer outra substância, quando ingerida em excesso, pode se tornar tóxica. Em outras palavras, em vez de se proteger, você estará se prejudicando. Aqui, a dica de ouro é sempre conversar com o seu médico e, somente com o seu aval, investir nessa ideia.

 

Outras recomendações

Enquanto a situação não se normaliza e a população possa contar com uma vacina para erradicar o problema, o conselho é continuar redobrando os hábitos de higiene — sempre utilizando álcool em gel, lavando bem as mãos e mantendo os seus calçados para fora da residência, evitando a contaminação dos ambientes internos.

Além disso, o uso da máscara de tecido e o isolamento social são extremamente importantes e ajudarão você a se manter protegido em qualquer circunstância.

Continue seguindo essas recomendações, sem se esquecer de investir em atividades físicas e uma alimentação balanceada, rica em fibras e nutrientes variados. Assim, a sua saúde continuará em dia e você estará disposto para enfrentar qualquer desafio.

Esperamos que esse artigo tenha ajudado a esclarecer as suas dúvidas sobre a vitamina D e o Coronavírus. 

Agora que você já se atualizou sobre esse assunto tão importante, aproveite para compartilhar o post em suas redes sociais. Os seus amigos também merecem se aprofundar no tema.

Juntos, somos mais fortes!

 

"