Depois de anos e anos de trabalho, aproveitar a terceira idade com total tranquilidade e bem-estar se torna a meta de vida de muitas pessoas. Porém, em atividades simples da rotina, como abrir uma tampa de garrafa ou se levantar da cama, é comum surgir uma certa dificuldade, que vem acompanhada de problemas de locomoção e diminuição da capacidade respiratória. Juntos, esses sintomas podem apontar para uma complicação denominada sarcopenia em idosos.

O problema pode ser causado por inúmeras razões, que vão desde mudanças hormonais, até fisiológicas ou, simplesmente, relacionadas ao envelhecimento do corpo humano. De qualquer forma, é importante ficar atento ao cenário, uma vez que a condição pode comprometer — e muito — o desempenho do indivíduo.

Para saber como lidar com essas situações, continue acompanhando este post. Nele, contamos tudo sobre a sarcopenia em idosos, os seus sinais e algumas práticas capazes de reverter a condição. Vamos lá?

O que é sarcopenia em idosos?

Originária do grego, a palavra “sarcopenia” quer dizer “perda de carne” e está diretamente relacionada à diminuição da massa magra presente no corpo humano.

A sarcopenia em idosos pode ser causada por diversas razões. Entre elas, destacamos as mudanças hormonais e fisiológicas, que são comuns com o passar dos anos e em decorrência de condições de saúde que marcam o período da velhice.

Ainda assim, existem situações em que o cenário pode estar relacionado à alimentação desregulada e ao sedentarismo, especialmente, porque esses indivíduos apresentam muitas limitações motoras que os impedem de realizar atividades físicas. Ou ainda, devido aos quadros depressivos, que são comuns nessa faixa etária.

Entretanto, é válido ressaltar que essa complicação não é decorrente apenas do envelhecimento. Em muitas circunstâncias, a sarcopenia em idosos pode acontecer após o surgimento de outras doenças, como infecções, inflamações graves, traumatismos severos ou, até mesmo, por conta do câncer.

Os primeiros sintomas da Sarcopenia em idosos

Embora o principal sinal da sarcopenia em idosos seja a perda de massa muscular, a verdade é que esse sintoma pode demorar algum tempo até ser notado. Ainda assim, existem outros detalhes que podem ser observados mais facilmente com o passar do tempo. Os principais são:

  • dificuldade na prática de atividades físicas. Se antes, alguns exercícios eram considerados fáceis, agora, o indivíduo começará a notar certos obstáculos. O mesmo vale para atividades simples, tais quais subir escadas, carregar as compras ou trocar uma lâmpada;
  • quedas, que se tornam cada vez mais frequentes à medida que a sarcopenia em idosos vai avançando;
  • desequilíbrio ao caminhar em terrenos íngremes ou com buracos.

Assim que a complicação for diagnosticada, seja por um clínico geral ou médico especialista em geriatria, o paciente precisará fazer algumas mudanças em seus hábitos diários.

Aqui, é importante investir em um tratamento nutricional, com a ingestão diária de, em média, 0,8 gramas de proteína — para cada 1 quilo de peso corporal. Essa medida é recomendada pelo próprio Ministério da Saúde e pode ser colocada em prática por meio de alimentos que são ricos nesse tipo de nutriente, sendo:

  • queijos;
  • frango;
  • soja;
  • carne vermelha;
  • tofu;
  • feijão;
  • quinoa.

Obviamente, o tratamento será aplicado conforme o perfil de cada paciente. Em alguns casos, ainda é provável que o médico responsável indique a prática de atividades físicas de resistência, assim como o uso de suplementos alimentares ricos em proteína — sendo o Whey Protein o principal deles.

Vale ressaltar, que este é um processo de longo prazo que, muitas vezes, pode apresentar duração de meses ou, inclusive, anos.

Como evitar a Sarcopenia em Idosos

Felizmente, existem várias maneiras de como prevenir a sarcopenia em idosos. A seguir, separamos algumas medidas simples, mas que, quando seguidas por um bom tempo, podem gerar resultados incríveis na disposição, qualidade de vida e bem-estar de uma pessoa. Anote todas!

Praticar exercícios físicos com regularidade

Não é preciso esperar a sarcopenia acontecer para começar a se exercitar. Pelo contrário! Como falamos, o problema acontece, justamente, devido ao sedentarismo. Sendo assim, uma excelente maneira de evitá-lo, é manter o corpo em constante movimento, ainda mais, em se tratando das atividades físicas com foco em resistência.

Entre elas, damos destaque ao pilates, musculação, natação ou hidroginástica. Ainda é interessante fazer esses exercícios com certa frequência: ao menos, três vezes por semana e com duração de 45 minutos. Assim, os efeitos serão mais garantidos.

Investir na alimentação

Não é somente de proteína que a sua dieta deve ser composta para evitar a sarcopenia. Daqui para frente, os chamados micronutrientes também serão essenciais, como a famosa vitamina C. Para tanto, considere aumentar o consumo de frutas e vegetais, além de apostar na ingestão de alimentos naturais, mais frescos e menos industrializados.

Incluir o Whey Protein em sua rotina

Muitos médicos ainda recomendam o uso do Whey Protein — uma proteína , alcançada por meio do soro do leite —, como forma de prevenir a sarcopenia em idosos. 

Assim que incluir o produto na sua rotina, o indivíduo consegue ter um excelente aumento da massa muscular, mais velocidade na hora de realizar as suas atividades físicas e, inclusive, disposição. E, quando aliado à prática de exercícios, certamente, os seus resultados podem ser ainda mais promissores.

O Whey Protein auxiliará na imunidade e condicionamento físico, sendo facilmente absorvido pelo organismo e poderá repor a quantidade de proteína que foi perdida após uma certa idade.

Depois de saber um pouco mais sobre a sarcopenia em idosos e como se proteger dessa condição, aproveite para começar, agora mesmo, a se prevenir. Basta acessar a loja virtual da Belt Nutrition e conferir uma série de polivitamínicos que irão te auxiliar ao longo de toda essa tarefa. Temos certeza de que, em pouquíssimo tempo, os efeitos obtidos serão fantásticos e a sua qualidade de vida mudará para melhor.