Quem se submete a cirurgia bariátrica provavelmente possui um histórico de tentativas frustradas de emagrecimento por dietas e outros métodos que não trouxeram o retorno esperado. É por isso que é fundamental o acompanhamento psicológico até antes de realizar a cirurgia bariátrica.

A taxa de reganho de peso é existente na cirurgia bariátrica, assim como todos os métodos de perda de peso. Ou seja, muitas pessoas que se submetem ao procedimento voltam a ganhar peso. Isso acontece, geralmente, após o período conhecido como “lua de mel”, que são os primeiros 18 meses onde o paciente está super motivado e levando o tratamento a risca, com o acompanhamento de um médico, um nutricionista e um psicólogo.

Após este período, a perda de peso estabiliza e a pessoa volta a ficar desmotivada. Muitas vezes, o paciente regride nas dietas e ganha peso. A pessoa também volta a ser hipertensa e a ficar com esteatose hepática, o acúmulo de gordura nas células do fígado, o que apresenta um reganho de peso significativo e traz prejuízos à saúde.

No Brasil, a única técnica que tem se mostrado eficaz para atuar no reganho de peso após a cirurgia bariátrica, pela técnica do BYPASS gástrico (FOBI-Capella, Wittgrove, Higa), é o Plasma de Argônio. É a técnica mais promissora e com resultados bastante satisfatórios. O Plasma de Argônio já é usado em vários países com sucesso.

No Brasil, ele foi liberado pela ANVISA e tem sido uma grande alternativa para esses pacientes. Portanto, quem não aproveita todo o auxílio promovido pela cirurgia nos primeiros anos, encontra no Plasma de Argônio uma nova chance para remodelar sua anastomose e alcançar o objetivo de perda de peso.

A anastomose nada mais é do que a emenda cirúrgica feita entre o estômago reduzido e o intestino delgado. Com o tempo, a dilatação pode ocorrer permitindo a passagem fácil do alimento ingerido. Com o tratamento pelo Plasma de Argônio, essa anastomose reduz o diâmetro trazendo novamente saciedade ao paciente, o que o ajudará a voltar a perder peso.

Dr. Guilherme Antoniette
CRM/SP: 79.160 – RQE n° 40.632

Fonte: Bariátricos