Provavelmente você já ouviu falar dele. Afinal, ele sempre entra em pauta quando pensamos em cuidados com a pele, assim como sua beleza. Apesar de o colágeno ser muito associado a pele, cabelo e unhas, suas atribuições não param por aí!

Nesse material, iremos falar sobre essa proteína essencial para o nosso corpo e entender qual a diferença entre colágeno tipo 1 e tipo 2, assim como os benefícios e funções de cada um! Confira a seguir:

 

O que é colágeno e qual sua função em nosso organismo?

O colágeno é um tipo de proteína, que atua especificamente na constituição das células presentes nos tecidos conjuntivos, sendo responsável por suas propriedades físicas. Dessa maneira, além da pele, ela também é fundamental na formação e manutenção de: articulações, músculos, tendões e até ossos!

Por sua importância, o colágeno é um dos nutrientes mais biodisponíveis no organismo - sozinho, ele representa mais de 30% do total de proteínas no corpo humano. Em linhas gerais, essa proteína é necessária na manutenção e integridade das estruturas que atuam, conservando elasticidade e, simultaneamente, resistência.

Afinal, os tecidos que ela age, tem por característica serem flexíveis aos movimentos, especialmente os involuntários. Mas, também, precisam ser resistentes ao desgaste gerado pelas ações.

Entretanto, apesar de o colágeno impedir o desgaste natural de articulações e músculos, alguns processos do próprio organismo podem fazer com que o nutriente pare de ser produzido na mesma quantidade que é necessário.  

Visto a necessidade de reposição, existem diversos produtos no mercado que oferecem a reposição de colágeno. Para tanto, já foram descobertos mais de 12 tipos de colágeno, que possuem atribuições próprias e agem em determinadas regiões para fins específicos. 

Porém, é preciso entender a diferença entre o colágeno hidrolisado tipo 1 e o tipo 2 não hidrolisado. Isso porque cada um tem uma ação específica e benefícios específicos de sua composição. Entenda mais agora:

 

O que é Colágeno hidrolisado tipo 1?

O colágeno tipo 1 é o mais comum e fácil de ser encontrado no organismo. Localizados em maior quantidade nos lugares que exigem resistência e flexibilidade, especialmente em estruturas que sofrem alto desgaste.

O colágeno hidrolisado tipo 1 é a proteína obtida através da extração do nutriente diretamente dos ossos e cartilagens de animais - como o boi e porco. O processo de hidrólise quebra as moléculas em partículas menores, mais fáceis de serem absorvidas e aproveitadas no intestino, diminuindo o desperdício.

Por ser mais disponível no organismo, acaba participando de diversos processos fundamentais. Abaixo, separamos uma pequena lista, com os benefícios do colágeno tipo 1:

  • Atua no folículo capilar, melhorando e recuperando a saúde dos cabelos. Essa característica que levou os médicos a recomendar a suplementação de queratina, especialmente para combater os efeitos colaterais pós-COVID;
  • Fortalece a unha, evitando problemas como a descamação e quebra;
  • Aumenta a firmeza da pele, reduzindo linhas de expressão e garantindo sua beleza;
  • Acelera o processo de cicatrização, benefício essencial para pacientes pós-cirúrgicos e com doenças crônicas como diabetes.

Logo, se percebe que o tipo 1 é mais recomendado para tratamento e reposição do colágeno em estruturas como cabelo, pele e unhas. Agora, vamos entender melhor sobre o tipo 2 e suas atribuições?

 

O que é colágeno tipo 2 não hidrolisado?

O colágeno tipo 2 - também encontrado como o tipo 4 - já é a proteína comumente encontrada é necessária em estruturas da mobilidade e integridade física - como as articulações. Ela quem atua na formação, regeneração e proteção dessas estruturas, que sofrem muita pressão e é mais fácil ocorrer desgastes.

Ao contrário do anterior, o colágeno tipo 2 não passa pelo processo de hidrólise. Isso o diferencia de seu par pelo aspecto da pureza do nutriente, uma vez que não ocorre nenhuma alteração molecular em sua estrutura. Isso faz com que a substância fique bioativa e aja nas estruturas necessárias.

Sendo assim, ele é recomendado para tratamento de doenças que afetem as cartilagens e articulações, assim como para quem realiza esportes e atividades físicas de alto impacto. Confira abaixo os principais benefícios do colágeno tipo 2:

  • Mantém o bom e correto funcionamento das articulações, impedindo seu desgaste natural;
  • Protege dos desgastes gerados pelas atividades físicas, diminuindo dores provenientes;
  • Reduz o risco de inflamações graves nas articulações;
  • Diminui o risco de lesão nas cartilagens, uma vez que garante sua integridade;
  • Combate doenças crônicas provenientes da deficiência de colágeno nas estruturas e o desgaste natural, como a artrite reumatoide e a osteoartrite.

Sendo assim, é perceptível que cada um dos tipos de colágeno tem propriedades específicas e benefícios bem direcionados para as estruturas que eles atuam. Isso é fundamental compreender para escolher o tipo certo para a sua saúde.

 

Quando devo recorrer à suplementação?

Por ser altamente disponível e a proteína em maior quantidade no organismo, o próprio corpo consegue produzir o colágeno para sua necessidade. Entretanto, diversos fatores podem ocasionar que isso não ocorra como necessário.

Alimentação desequilibrada, falta de nutrientes como a vitamina C (maior aliada da produção do colágeno), doenças crônicas e o próprio envelhecimento, são precursores da falta dessa proteína.

Especialmente após os 30 anos, o corpo começa a reduzir a produção natural do nutriente, o que gera problemas muito maiores do que apenas o estético - como as dores e doenças articulares. 

Sendo assim, sempre é recomendado buscar auxílio profissional, que irá realizar todos os exames necessários, atestando qual tipo de colágeno é o mais recomendado e qual trará mais benefícios para sua saúde. Especialmente porque, o excesso dessa proteína, pode danificar e prejudicar o correto funcionamento dos rins!