A cirurgia de redução de peso, ou simplesmente cirurgia bariátrica, é um procedimento cirúrgico utilizado para controlar a quantidade de comida, modificando o processo natural de digestão e reduzindo a quantidade de calorias ingeridas.

Existem vários tipos, mas, na grande maioria são extremamente agressivos e invasivos. Por esse motivo, só é recomendado e autorizado, para pessoas que já tentaram outras formas de tratamento e preenchem alguns outros requisitos.

Nesse conteúdo, iremos explicar detalhadamente sobre o processo da cirurgia bariátrica, como funciona e todos os pontos importantes de serem avaliados.

 

Como funciona o processo da cirurgia bariátrica?

Não é qualquer pessoa que pode e vai conseguir fazer a bariátrica, mesmo com diagnóstico de obesidade. Existe uma série de pré-requisitos - que iremos apresentar a seguir - que são avaliados antes mesmo do processo ser iniciado.

Mesmo atingindo todas as condições, não é uma aprovação imediata e entrar na mesa de cirurgia. É iniciado uma bateria de exames, acompanhamentos e avaliações, para validar que a pessoa é apta e conseguirá se recuperar bem do procedimento. Dá uma conferida na equipe disciplinar:

  1. Cardiologista: esse profissional vai avaliar a capacidade cardíaca, afinal, em uma cirurgia e na recuperação, o sistema cardiovascular é altamente demandado;
  2. Psicólogo e psiquiatra: ambos fazem o acompanhamento psíquico e mental, para garantir que o paciente entenda toda a complexidade da cirurgia, riscos e recuperação, além de garantir que ele tem capacidade de lidar com a alimentação após o procedimento;
  3. Nutricionista: é fundamental para entender a dieta do paciente e iniciar o processo de sensibilização e mudanças de hábitos alimentares, preparando-o para as mudanças maiores;
  4. Equipe cirúrgica: eles que vão garantir todos os exames necessários, para que a cirurgia ocorra da melhor e mais segura maneira possível.

O processo da cirurgia bariátrica não é simples e envolve diversas etapas. E quais são os requisitos para ser elegível ao procedimento?

 

Requisitos para o processo de cirurgia bariátrica

Para ser elegível ao procedimento, os médicos avaliam diversos critérios rigorosos, que vão desde a condição atual de saúde até outras tentativas não invasivas de tratamento. Além disso, avaliam os seguintes requisitos:

  1. Faixa etária: pessoas com mais de 16 anos e menos de 65. Leva-se em conta os riscos da cirurgia, tempo de recuperação e questões do próprio organismo.
  2. Índice de Massa Corporal: 
    1. quem tem IMC de 35 a 40 kg/m², é preciso apresentar ocasionadas pela obesidade, como a diabetes e hipertensão, por exemplo; 
    2. já para aquelas com índice igual ou maior que 40 kg/m², que não apresentaram evolução mesmo com tratamentos anteriores com médicos e nutricionistas, fica dispensado a presença das comorbidades;
    3. IMC superior a 50 kg/m, o processo da cirurgia bariátrica é facilitado, sem necessidade dos pré-requisitos anteriores.

 

E quais são os tipos de cirurgia bariátrica?

Os procedimentos são subdivididos em categorias, afinal, cada um tem uma classificação. Ela é definida de acordo com o quanto ele é invasivo e sua capacidade de alterar fisiologicamente o sistema digestório.

Claramente que, quanto mais amplo e modificador ele for, maior é o impacto da perda de peso. Porém, quem decide qual o tipo de cirurgia bariátrica que o paciente vai fazer é a equipe médica, avaliando o caso, sua complexidade e tratamentos anteriores. Abaixo listamos os procedimentos mais comuns no Brasil:

1 - Banda gástrica

Ela é a menos invasiva e que não gera praticamente nenhum impacto na fisiologia original do estômago. 

O procedimento consiste na colocação de um anel ao redor do órgão, reduzindo seu tamanho e colaborando para uma menor ingestão de calorias. A recuperação é bem mais rápida, entretanto, os resultados não são tão agressivos quanto os demais.

2 - Bypass Gástrico:

Considerada um procedimento altamente invasivo. Além de retirar grande parte do estômago, o bypass - como o próprio nome sugere - altera a fisiologia natural do processo digestório. 

Após a retirada parcial do estômago, o médico então une o restante diretamente ao intestino, diminuindo a capacidade de comida e, consequentemente, as calorias que são absorvidas. Os resultados são satisfatórios, podendo reduzir até 70% do peso inicial, para tanto que é o procedimento mais utilizado no país.

3 - Gastrectomia vertical

Reconhecida como cirurgia sleeve, ele tende a alterar menos o funcionamento natural do sistema digestivo. Nela, é mantida a conexão entre estômago e intestino natural, sendo removido então uma porcentagem do estômago.

Com a redução do órgão, a ingestão de alimentos é afetada e os resultados não são tão agressivos quanto o bypass. É possível perder até 40% do peso inicial.

Ambas os 3 procedimentos são considerados os mais comuns e aplicados no processo da cirurgia bariátrica. Como é um procedimento que muda a fisiologia e capacidade fisiológica do organismo, mudanças de hábitos deverão ser feitas pelo resto da vida.

 

Atenção aos nutrientes é fundamental

Os procedimentos mais invasivos consistem em retiradas de partes que são responsáveis pela absorção de calorias, mas também de nutrientes. Com isso, é comum os pacientes bariátricos apresentarem deficiência de alguns nutrientes, especialmente no período de 6 meses a 1 ano pós-bariátrica.

Os nutrientes que são mais comuns de apresentarem deficiência, são:

  • Vitamina B12 - essencial para funções cognitivas e hormonais;
  • Ácido fólico e ferro - que combatem anemias;
  • Cálcio - que pode ocasionar osteoporose precoce;

Mas, além desses nutrientes, outros podem ser afetados. Por isso, além de seguir corretamente todas as orientações médicas e nutricionais, é fundamental entrar com a suplementação certa e imediata. 

Nós da Belt Nutrition, temos uma linha completa e desenvolvida especialmente para os pacientes bariátricos, repondo nutrientes e melhorando a qualidade de vida pós-operação. Confira nosso site e conheça nossos produtos.