A pandemia do novo coronavírus não evidenciou apenas a necessidade de cuidar mais de sua saúde e hábitos de vida. Os impactos notados pela chegada do vírus, associado às restrições e quarentena, são muito mais tangíveis quando observado a saúde mental e emocional das pessoas.

Por muito se associou transtornos mentais como frescura, fraqueza ou, simplesmente, mentira. E essa percepção distorcida da sociedade sobre esse tema, levou a grandes prejuízos imensuráveis.

O que devemos fazer para manter a saúde mental e quais são os principais cuidados com esse aspecto que precisam ser tomados? Confira no conteúdo a seguir.

A importância da saúde mental e o Setembro Amarelo

A OMS (Organização Mundial da Saúde) já vinha alertando, muito antes do COVID-19, que a pandemia do século XXI seria a dos transtornos mentais - especialmente ansiedade e depressão. 

Depois da pandemia do novo coronavírus, a estimativa antes dada foi antecipada. Diversos países notaram que a quantidade de pessoas que se identificavam com sintomas de transtornos de humor, mais do que dobrou. 

Além dos impactos na saúde do indivíduo, as consequências sociais em todas as esferas, começa a ser realidade. Para tanto que o risco de suicídio para pessoas portadoras desses transtornos, é muito mais elevado - mais de 90% dos suicídios cometidos, são relacionados a essas patologias.

Visto essa realidade e consequências, a Campanha do Setembro Amarelo, nasce com a necessidade de conscientizar as pessoas sobre a prevenção ao suicídio. Assim como a importância dos cuidados com a saúde mental.

E como surgiu o Setembro Amarelo? 

Desde 1994, começou uma grande comoção sobre o assunto, após o suicídio de Mike Emme, nos Estados Unidos. Ele, que tinha um Mustang 68 Amarelo, tirou sua vida e em seu funeral, seus amigos e familiares usaram uma fita amarela, com cartões incentivando a buscar ajuda.

Em 2003, a OMS - Organização Mundial da Saúde - adotou o dia 10 de setembro como Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio. O amarelo, representando Mike e seu Mustang, foi a cor escolhida para simbolizar a campanha.

Qual a importância de cuidar da saúde mental?

saude mental cuidados

Infelizmente, no Brasil, ainda existem muitos tabus, crenças e senso comum que inviabilizam e dificultam as pessoas que precisam buscar ajuda. Afinal, os transtornos de humor e personalidade são estigmatizados e marginalizados, tendo as pessoas sofrendo com esses preconceitos.

Quem nunca ouviu as frases prontas “Isso é falta de Deus”, “Mas é só você não ficar pensando nisso”, “Você tem tudo na vida, não tem motivos para ter depressão”. Essas, são apenas algumas das principais formas de se excluir e ferir quem sofre desses males.

Porém, ao contrário do que muitos pensam, os cuidados com a saúde mental e emocional não afetam só esse aspecto. Mas sim, a saúde na totalidade, afinal, quando existe um sofrimento mental, o corpo começa a sentir. Abaixo, entenda o que a falta de cuidados com a mente e emocional, pode gerar:

  • Piora de doenças autoimunes e crônicas - lúpus, diabetes, síndrome do intestino irritável, enxaquecas;
  • Diminuição dos neurotransmissores “saudáveis”, que ajudam a regular o sono, autoestima, cognição, bem-estar e dor.
  • Aumento do cortisol e de processos inflamatórios no corpo, reduzindo a imunidade;
  • Piora da oxidação do organismo, acelerando a ação dos radicais livres;
  • Influência no agravamento de problemas cardiovasculares, respiratórios e digestivos;
  • Perda da qualidade de vida, afetando trabalho, vida social e perspectivas de vida;
  • Diminuição da capacidade cognitiva, como memória, aprendizado, concentração, humor e estresse - especialmente pela falta de sono.

Essa é apenas uma pequena lista, das consequências catastróficas que a falta de cuidados com a saúde mental pode ocasionar para sua vida. Agora, vamos descobrir o que devemos fazer para manter a saúde mental em dia?

Estratégias de cuidado com a saúde mental:

A mente e emocional, precisam de atenção diária, vindo desde cuidados simples no dia-a-dia, à adoção de métodos mais assertivos, especialmente em casos onde já existe uma patologia associada. Abaixo, confira algumas dicas práticas:

1 - Não tenha medo de ir para terapia

A nossa saúde mental não se deteriora de um dia para o outro. Muitas vezes, o aparecimento de sintomas depressivos e ansiosos - por exemplo - é motivado por uma série de acontecimentos que perduram desde a infância.

O psicólogo é o profissional mais recomendado para te ajudar a entender o que acontece, além de auxiliar em estratégias para combater o problema. Caso necessário, a associação a tratamentos medicamentosos com o psiquiatra é recomendado.

2 - Tenha em sua rotina, atividades prazerosas

Qual era seu sonho de criança, que você nunca pode realizar? Ou uma vontade que sempre teve, mas nunca foi atrás? A rotina por si só é estressante e, por diversos motivos, é impossível manter o prazer sempre.

Então, descubra um hobby que te dê prazer, para te afastar das obrigações e atividades que geram estresse. 

3 - Adote hábitos saudáveis

A prática de exercícios físicos, é cientificamente comprovada como uma forma de aumentar sua qualidade de vida, sendo um dos melhores cuidados com a saúde mental. 

Além de manter o corpo em movimento e evitar diversas doenças e complicações, as atividades ajudam a liberar hormônios associados ao combate dos transtornos de humor. Encontre aquela que te chame a atenção e vá sem medo.

4 - Cuide da alimentação

As patologias que afetam a saúde mental, estão associadas também à falta de nutrientes. Afinal, diversos deles atuam no funcionamento neuronal e produção desses neurotransmissores - como a serotonina, dopamina e endorfina.

Então, sempre tenha uma alimentação balanceada, com todos os alimentos recomendados e mantenha suas consultas de rotina em dia!

E aí, o que acho das nossas dicas de como cuidar da saúde mental e emocional? Que tal dar um up na sua qualidade de vida, repondo todos os nutrientes que você precisa? Acesse nosso site e confira nossos produtos!