O inverno é tempo de coberta, comidas confortáveis e quentinhas, e ficar mais acomodado em casa. Mas, em contrapartida, é a estação que mais tem incidência de doenças respiratórias. E em tempos de COVID-19, cada espirro é um susto.

Entenda como diferenciar o coronavírus das outras doenças mais comuns e confira algumas dicas para evitar a gripe e resfriado nessa época do ano. Vamos lá?

 

O que é gripe e resfriado?

A gripe é uma infecção viral respiratória, causada pelos diversos vírus Influenza, tendo sua predominância durante os meses frios, mas, pode se manifestar o ano inteiro. Ela possui um período de incubação de até 4 dias e seus sintomas se manifestam de forma intensa e rápida.

Já o resfriado, é normalmente causado pelo rinovírus e seus sintomas são mais brandos do que a gripe. Enquanto o primeiro gera mais sinais na garganta e respiração, o resfriado se manifesta em sintomas no nariz e olhos - marcados pela coriza e espirros.

 

Diferença entre gripe e COVID

A pandemia do novo coronavírus assolou o mundo de forma drástica. Uma doença altamente contagiosa e ainda desconhecida, que possui características muito semelhantes às outras doenças respiratórias que temos - como a gripe.

E o inverno é marcado pelo crescimento expressivo de números das síndromes respiratórias, onde se encaixam os vírus que atacam as vias áreas. Uma característica em comum entre eles, é que ambos atacam e afetam os pulmões e outras estruturas pertencentes.

Por isso, muitas pessoas - ao apresentar sintomas - não sabem se é de um resfriado ou já é da infeção de COVID. Abaixo, listamos alguns dos principais sintomas de cada uma delas:

Sintomas de COVID:

  • Perda de olfato e paladar;
  • Febre;
  • Dor de cabeça constante;
  • Tosse seca;
  • Falta de ar;

Sintomas de gripe - Influenza

  • Coriza;
  • Nariz gotejante;
  • Dor de garganta;
  • Tosse progressiva e sempre cheia de catarro;

Apesar de causar congestionamento e acúmulo de muco, a gripe raramente reduz o olfato e o paladar, mas nunca totalmente. A tosse com catarro, pode perdurar por semanas, enquanto a COVID é seca e tem duração pré-estabelecida.

Mas, em caso de suspeitas, o recomendado é sempre manter o isolamento de outras pessoas do convívio e, caso os sintomas progredirem, buscar atendimento médico - especialmente com falta de ar.

 

Como evitar a gripe e resfriado?

Agora que você conheceu as diferenças entre a COVID e a gripe, é preciso saber como se cuidar e prevenir os resfriados. Especialmente em momentos onde as frentes frias baixaram as temperaturas em níveis recordes no Brasil inteiro.

Essa oscilação brusca de temperatura, é um dos principais motivos pelo crescimento da Influenza e Rinovírus. Isso porque, a imunidade cai ao tentar se adaptar a essas mudanças intensas e rápidas.

Separamos algumas dicas para evitar a gripe e manter sua imunidade protegida, evitando o desgaste e problemas gerados pela doença. Vamos lá?

1 - Higienização é sempre indispensável

Se tem algo que a pandemia do novo coronavírus evidenciou, é a necessidade de mantermos as mãos sempre limpas. Lavar bem, higienizar com álcool e evitar levá-las ao rosto (olhos, nariz e boca), especialmente após entrar em contato com superfícies.

Como esses vírus também são transmitidos através de gotículas infectadas, a prevenção começa neste hábito simples.

2 - Mantenha os ambientes arejados

Sabemos que no frio isso é uma tarefa quase que hercúlea. Mas, as doenças respiratórias se aproveitam de ambientes fechados e abafados, especialmente com muitas pessoas. 

Então, prefira manter o ar circulando, limpe aparelhos de ar-condicionado e evite ficar em locais fechados por muito tempo.

3 - Não compartilhe seus objetos pessoais e evite contato com pessoas doentes

Garrafas, itens de higiene, maquiagens e outros utensílios de uso pessoal, não devem ser compartilhados. Além da gripe, resfriado e COVID, outras doenças podem ser transmitidas com esse mau hábito (conjuntivite, por exemplo).

Além disso, tente não ficar em contato com outras pessoas que apresentem sintomas gripais. Isso aumenta exponencialmente as chances de se infectar e ficar doente.

4 - Participe da campanha anual de vacinação

Faz parte do ciclo vacinal, tanto público, quanto privado - às campanhas de vacinação contra Influenza. A vacinação já reduz drasticamente as chances de se infectar, ou manifestar os sintomas mais graves da doença.

Procure se informar aí na sua cidade, as campanhas sempre ocorrem nos meses de outono e inverno.

5 - Observe a alimentação e o estresse

A alimentação saudável repõe todos os nutrientes que seu organismo precisa. Especialmente os que são fundamentais para o fortalecimento e regeneração do sistema imune. Mantendo uma rotina alimentar equilibrada e bebendo bastante água, sua imunidade agradece.

Além disso, observe sua saúde mental e níveis de estresse. Essa condição eleva os níveis de cortisol, que geram um estado inflamatório no corpo. Com isso, a imunidade começa a cair e seu organismo fica exposto a perigos.

6 - Aposte na suplementação como apoio

Além da alimentação, os suplementos vitamínicos são um grande reforço nessas épocas de frio e doenças respiratórias. É importante frisar, porém, que nunca devem substituir uma dieta balanceada, ok?

Para fortalecer o seu sistema imune e te ajudar a ter mais saúde nesses tempos, a Belt desenvolveu o Belt Immune. Desenvolvido com os maiores aliados da sua imunidade - vitaminas C, E, B12 e D - potentes antioxidantes e anti-inflamatórios. 

O zinco também fecha com chave de ouro essa composição, pois é o mineral mais ligado ao fortalecimento e produção das células de defesa. 

Evitar a gripe e resfriado é possível, basta ter atitudes preventivas e se livrar de maus hábitos. E, para fortalecer sua saúde, conte com a Belt e nossos produtos!