Após uma grande perda de peso, como a que acontece pela cirurgia bariátrica, pode surgir um excesso de pele em alguns locais do corpo, como abdômen, braços, pernas, seios e nádegas, que pode deixar o corpo com uma aparência flácida e com a silhueta pouco definida. 

Nestes casos, está indicada a cirurgia reparadora, ou dermolipectomia, que pode, até, ser feita de forma gratuita por serviços de cirurgia plástica do SUS e também tem a cobertura de planos de saúde. No entanto, para isso, a cirurgia deve corrigir problemas que o excesso de pele pode causar, como dermatite nas dobras, desequilíbrio e dificuldade na movimentação, não sendo somente feita com o intuito de melhorar a aparência estética. 

Já nos casos em que a pessoa apenas quer melhorar a estética do corpo, este tipo de cirurgia pode ser feito em clínicas particulares.

Quando se deve fazer as cirurgia plásticas após a cirurgia bariátrica?

As cirurgias plásticas devem ser feitas quando o objetivo da perda de peso estipulada pelo seu cirurgião bariátrico for atingido ou quando ocorreu a estabilização do peso.

Ainda assim, o cirurgião plástico deve selecionar os pacientes que estejam com IMC abaixo de 30; acima de 30, somente se houverem razões fortes.

A estabilização do peso ocorre geralmente entre 01 e 02 anos após a cirurgia bariátrica. Alguns casos podem necessitar de cirurgia plástica muito antes da estabilização, quando a sobra de pele e excesso gorduroso prejudicam em muito a sua locomoção.

Quais as cirurgias plásticas mais realizadas após o emagrecimento acentuado?

  • Mamoplastia: nesta procedimento, o cirurgião plástico reposiciona as mamas, retirando o excesso de pele e deixando-as com aspecto mais firmes. Esta cirurgia também é conhecida como mastopexia, e pode ser feita isoladamente, ou com a colocação de próteses de silicone, o que pode aumentar os seios, para mulheres que desejarem. 
  • Abdominoplastia: também conhecida como dermolipectomia abdominal, esta cirurgia retira o excesso de pele formado no abdômen após o emagrecimento, que fica bastante flácida e causa a chamada barriga de avental.
  • Cirurgia de Contorno Corporal (Body Lifting): também conhecida como body lifting, esta cirurgia corrige a flacidez de diversos locais do corpo de uma só vez, como tronco, abdome e pernas, dando uma aparência mais tonificada e delineada ao corpo.
  • Lifting em Braços e Coxas: este procedimento remove o excesso de pele que prejudica a estética e que dificulta a movimentação e atrapalha atividades profissionais e do dia-a-dia. Neste caso, a pele é esticada e reposicionada, para remodelar a região desejada. 
  • Lifting Facial: aqui, o excesso de flacidez e gordura que caem sobre os olhos, bochechas e pescoço é removido, ajudando a suavizar as rugas e rejuvenescer o rosto.

Qual é a melhor ordem a ser seguida?

Para a maioria dos cirurgiões plásticos que esta habituada a fazer esse tipo de cirurgia plástica, o abdome deve ser a primeira cirurgia. A seguir, mamas, braços, coxas e face. As vezes a ordem pode ser mudada de acordo com a vontade do paciente, desde que não contrarie frontalmente a lógica.

Podem ser realizadas mais de 01 cirurgia por vez?

As cirurgias associadas (por ex: mamas + abdome ou braços + coxas, etc.) devem ser feitas por um cirurgião muito experiente e, mesmo assim, não é regra geral, ele poderá optar por cirurgias isoladas para maior segurança.

As cicatrizes são de boa qualidade?

Sim. Em geral são de boa qualidade, mas como o contorno corporal a ser atingido com as cirurgias plásticas dependem muitas vezes de tensões maiores, poderemos ter em alguns pontos, cicatrizes hipertróficas (alargadas), que poderão ser retocadas na etapa seguinte. Cirurgiões Plásticos experientes conseguem um bom contorno corporal e cicatrizes (mesmo que alarguem um pouco) que não significam nem 10% do problema apresentado (flacidez e lipodistrofia).

Qual o risco da cirurgia plástica após a cirurgia bariátrica?

O risco de complicação grave é mínimo, pois os pacientes estão muito bem preparados (já vêm bem preparados pela equipe multidisciplinar ligada a cirurgia bariátrica), e os cuidados com o pré operatório imediato e intra-operatório se somam para dar segurança à cirurgia plástica. A anestesia feita por profissionais competentes habituados a atuar nas gastroplastias, os aparelhos modernos e drogas de última geração, nos dão a certeza de que devemos nos preocupar apenas com a cirurgia, sendo nossa dedicação muito maior naquilo que mais nos interessa.

Como é o pós-operatório?

Para cada problema e resolução cirúrgica, um determinado pós-operatório. De uma maneira geral a primeira semana é a mais importante, pois poderemos evitar hemorragias, infecções, necroses e edemas, simplesmente com um repouso relativo e curativos adequados. Alguns cirurgiões não fazem uso de drenos, outros usam pequenos drenos (penrose) que são retirados 24 a 48 horas após a cirurgia, e ainda existem cirurgiões plásticos que preferem deixar drenos por 07 a 10 dias, principalmente após abdominoplastias. Após a primeira semana tudo é mais fácil, mesmo assim o repouso ainda é importante para evitar a formação de seroma abundante (liquido formado por extravasamento linfático e tecido gorduroso liquefeito). O seroma detectado deve ser puncionado e assim não acarretara problemas. Após 01 mês há a liberação para caminhadas, dirigir, trabalhar (depende do trabalho), para alguns exercícios físicos e até para relações sexuais desde que sejam bem orientados. Até os 03 meses recomendamos o uso de cintas e faixas pois o alargamento de cicatrizes ainda pode ocorrer.

Protetores solares de 50 para cima devem ser utilizados sob os biquínis, sungas, camisetas, até o clareamento das cicatrizes que ocorre geralmente por volta dos 06 meses.

Fonte: SBCBM / Tua Saúde