O bypass gástrico é uma medida tomada por quem precisa fazer uma drástica mudança na sua saúde. Ter uma maior qualidade de vida, praticar atividades físicas e principalmente evitar complicações com o organismo debilitado pela obesidade estão entre os objetivos.

Esse procedimento médico, antes de tudo, não é voltado apenas para grupos de pessoas com sobrepeso ou obesidade. Ainda, uma série de quesitos devem ser cumpridos com rigor antes e depois da cirurgia.

A cirurgia em si não tem alto risco, mas, para ter uma excelente recuperação, é preciso saber o que deve ser feito em todas as etapas da operação. Conheça neste post, o que é o bypass gástrico, para quem é indicado e o que é preciso fazer no pré e pós-operatório!

O que é o bypass gástrico?

Bypass Gástrico, conhecido também como gastroplastia com desvio intestinal em “Y de Roux”, o paciente é submetido ao grampeamento de parte do estômago, que reduz o espaço para o alimento, e um desvio do intestino inicial, que promove o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome. Essa somatória entre menor ingestão de alimentos e aumento da saciedade é o que leva ao emagrecimento, além de controlar o diabetes e outras doenças, como a hipertensão arterial.

Uma curiosidade: a costura do intestino que foi desviado fica com formato parecido com a letra Y, daí a origem do nome. Roux é o sobrenome do cirurgião que criou a técnica.

O bypass gástrico é, ainda, um método muito seguro e responsável, apenas no Brasil, por 70% das cirurgias de redução, tendo seu índice de letalidade entre 0,1% e 1%.

Quais são os resultados da cirurgia bariátrica?

O bypass gástrico reduz no primeiro mês até 10% de peso. Seguindo todas as recomendações médicas, em média de 15% a 70% são perdidos ao longo da vida, depois da cirurgia.

A cirurgia bariátrica é um eficaz e seguro tratamento contra a obesidade, porque melhora a qualidade de vida e a maioria das comorbidades associadas.

Para quem a redução de estômago é indicada?

O bypass gástrico é indicado em alguns grupos de pessoas. São eles:

  • pessoas obesas com Índice de Massa Corpórea (IMC), acima de 40;

  • pessoas com IMC acima de 35, com a comorbidade de doenças como diabetes, hipertensão, colesterol alto, hérnia de disco, entre outros contratempos que reduzem a expectativa de vida significativamente.

Quais são os cuidados pré-operatórios?

Veja todos os principais cuidados para se fazer antes de realizar a cirurgia bariátrica:

  • conhecer o histórico profissional do cirurgião;

  • visitar a clínica ou hospital onde a cirurgia será feita;

  • fazer todo o check-up pré-operatório;

  • emagrecer até 10% do peso nos meses anteriores à operação, para gerar mais segurança clínica — o organismo fica mais preparado;

  • fazer consulta com o anestesista para checar possíveis riscos e restrições;

  • manter por, pelo menos 15 dias antes da cirurgia, uma alimentação balanceada;

  • fumantes devem parar de fumar até 30 dias antes da operação;

  • realizar as consultas com equipe multidisciplinar — psicólogo, psiquiatra, endocrinologista, gastroenterologista, nutricionista e demais, se necessário.

Quais são os cuidados pós-operatórios?

Enquanto algumas medidas devem ser feitas por um curto período de tempo depois da cirurgia, outras devem ser mantidas por toda a vida. Cada qual com sua ação para manter o peso o mais controlado possível.

Repouso

Depois do procedimento, o paciente fica em média, de 3 a 5 dias internado, para acompanhamento do quadro, até receber alta. Após esse período, é preciso ficar em repouso por pelo menos 1 mês.

O repouso também exige o uso de uma cinta abdominal, que evita que os pontos ou grampos se soltem. Dentro desse prazo, não é preciso ficar totalmente imóvel. Caminhadas leves pela casa ou mesmo na rua, podem ser feitas.

Alimentação

Durante as primeiras 6 semanas depois do bypass gástrico, a alimentação deve ser dividida em:

  • por 15 dias: dieta líquida;

  • após 15º dia: dieta pastosa;

  • assim que permitido pela equipe médica: dieta sólida gradual.

Ainda, dentro do cardápio feito para pessoas que fazem a redução de estômago, é recomendado evitar ao máximo refrigerantes e bebidas gasosas, bem como alimentos gordurosos e ácidos, como carne de porco, abacaxi e limão.

Usar medicamentos

Siga corretamente as prescrições médicas, o uso de medicamentos no pós operatório será recomendado de acordo com sua necessidade e protocolo médico. 

 

Fazer uso de suplementos vitamínicos

Após o bypass gástrico, o intestino reduz sua absorção de nutrientes e outras substâncias dos alimentos. Assim, para evitar o risco de contrair deficiências nutricionais, é necessário que o paciente faça a suplementação com vitaminas e minerais prescritas, por um período prolongado ou por toda a vida..

Ingerir bastante água

Beber de 2 a 3 litros de água por dia é preciso também para quem se submete à cirurgia bariátrica. Porém, essa ingestão deve ser feita em goles pequenos, com intervalos de tempo curtos — por exemplo, a cada 20min. Isso somente após a equipe multidisciplinar liberar a ingestão necessária.

Mulheres devem suspender a menstruação

As mulheres que fazem o bypass gástrico precisam suspender o ciclo de menstruação com anticoncepcionais ou DIU. A recomendação é do médico e presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), Marcos Leão Vilas Bôas.

Isso é preciso porque com a baixa absorção de  nutrientes, principalmente o ferro,somado à perda de sangue da menstruação, a mulher corre um risco alto de ter anemia crônica. E, ainda há um agravante: a própria cirurgia de redução pode fazer o ciclo menstrual aumentar.

Ter acompanhamento de uma equipe multidisciplinar

Uma equipe de médicos que inclui psicólogo, psiquiatra, endocrinologista entre outros profissionais deve acompanhar a evolução do paciente. A fim de monitorar e, se for preciso, intervir com medicações, para que o estado de saúde da pessoa fique estável.

O impacto da redução de estômago é grande, e requer todos estes e outros cuidados específicos, recomendados pelos profissionais. E as indicações variam de pessoa para pessoa. Portanto, é essencial tomá-las como regras.

Assim, a recuperação do organismo será rápida e ainda o paciente corre menos risco de voltar a ganhar peso depois do bypass gástrico. Algo comum que acontece com pessoas que não seguem estritamente as recomendações médicas.

 

"