Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), cerca de 70% dos pacientes que realizam cirurgia bariátrica no Brasil são mulheres, entre 35 e 50 anos.

De acordo com Caetano Marchesini, presidente da entidade, isso pode ser explicado inclusive por fatores culturais. Quando se fala em estética e perda de qualidade de vida referente ao peso, as mulheres tendem a se importar mais. Já quando se fala na obesidade nos homens, ela é mais “tolerada”, individualmente e pela sociedade num geral.

As idas às consultas preventivas também são mais frequentes entre as mulheres, detectando precocemente a obesidade e recebendo informações sobre as possibilidades de tratamento. Já os homens tendem a procurar o tratamento quando o quadro é mais grave e já está instalado há mais tempo”, compara Caetano Marchesini.

Quando fazer a cirurgia bariátrica?

A obesidade é avaliada pelo cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). As pessoas com IMC igual ou maior que 30 kg/m² são consideradas obesas. A gravidade da obesidade aumenta proporcionalmente à elevação do IMC:
– Entre 30 e 34,9 kg/m²: Obesidade leve
– Entre 35 e 39,9 kg/m² : Obesidade grave / severa
– Igual ou maior que 40 kg/m² : Obesidade mórbida
A cirurgia bariátrica está indicada para pacientes com IMC ≥ 40 kg/m² – independentemente de comorbidades associadas, ou nos pacientes com IMC ≥ 30 kg/m² com doenças associadas, e que não tiveram resultado satisfatório com outros tipos de tratamentos não cirúrgicos nos últimos anos.

São doenças associadas ao quadro de obesidade a hipertensão arterial, diabetes, esteatose hepática, aumento do colesterol, problemas articulares e ortopédicos, entre outras.

O pós-operatório também deve ser avaliado por equipe multidisciplinar para evitar quadro de anemia ou outras deficiências nutricionais. “O paciente deverá aprender a comer pouco e bem, várias vezes ao dia, e optar por alimentos pouco calóricos e com alto teor vitamínico, abandonando hábitos nocivos”, sintetiza Marchesini. Além disso, deve-se incluir na rotina do paciente a prática de atividades físicas regulares.

Mulheres podem engravidar após a barátrica?

A obesidade também prejudica a fertilidade feminina e pode comprometer a gestação. Porém, a cirurgia bariátrica permite que as mulheres operadas possam realizar o sonho da gravidez com mais facilidade e ter uma gravidez mais segura e saudável. Além disso, o tratamento cirúrgico da obesidade diminui as chances da futura mãe ter diabetes gestacional, eclampsia, parto prematuro ou até mesmo aborto espontâneo.
Estudos mostram que engravidar com grande excesso de peso aumentam os riscos de a criança sofrer com o mesmo problema.

Você já conhece a Belt Nutrition Suplementos? Nós fabricamos produtos indicados especialmente para quem realizou a cirurgia bariátrica e da síndrome metabólica. Conheça já nossa linha de produtos para bariátricos

Fonte: SBCBM